Pensar e vestir em época de quarentena

Pensar e vestir em época de quarentena

pensar-e-vestir-quarentena

Apesar do cenário mundial atual ser diferente do que nós provavelmente escolheríamos viver, a quarentena é um ótimo momento para o autoconhecimento em diversas áreas, inclusive para repensar o senso fashion de cada um. Afinal, nada melhor do que aproveitar esses dias sem influência externa para descobrir o que você realmente gosta de vestir, e o que te faz se sentir bem.

Se descobrindo na moda

Para descobrir o que realmente te faz se sentir bem e confiante, o primeiro passo é tirar o pijama mesmo que o destino seja apenas a sala de casa. O segundo passo é vestir a roupa que você acredita que será a ideal para executar as tarefas do dia, seja o home office ou a ida semanal ao mercado, e ao fazer isso todos os dias, você irá aos poucos conseguir perceber quais são as roupas que você realmente gosta de vestir, e qual é o estilo que te traz confiança mesmo quando ninguém está vendo.

As roupas que você realmente precisa 

Depois de descobrir de verdade qual é o seu estilo e o que você gosta de vestir para se sentir feliz, confiante e animado, vai ser fácil de perceber quais peças de roupa realmente devem estar no seu guarda-roupas, e quais são aquelas que estão lá apenas acumulando espaço. Talvez algumas das peças que não fazem parte do estilo hoje já fizeram parte algum dia, e talvez algumas outras nunca fizeram e foram compradas quase que num impulso. Tanto em um caso quando no outro, essas roupas precisam sair do seu guarda-roupas para dar espaço para novas peças que façam mais sentido com o seu estilo hoje, com o que te faz feliz e confiante na fase atual da sua vida.

A doação e a venda em brechós são ótimas opções para as roupas que você decidir que devem ser retiradas, pois elas podem ser muito úteis para outras pessoas e até mesmo render um dinheiro extra.

Prepare looks para o pós-quarentena

Agora que o seu guarda-roupas está cheio apenas com roupas que de fato mostram quem você é, que tal aproveitar o tempo livre para explorar as combinações e montar os looks? A dica é explorar o máximo de possibilidades possíveis para a mesma peça, e se divertir bastante durante todo o processo! 

Conheça algumas marcas que são cruelty free

marcas que são cruelty freePrecisamos refletir sobre o fato de o consumo consciente não se tratar apenas de se atentar para a diminuição do consumo excessivo e descarte correto das roupas. Essa filosofia de vida engloba ainda outros aspectos além desses, como por exemplo o selo “cruelty free”, ou “livre de crueldade”.

Quando um produto ou uma marca carregam esse selo, a mensagem passada para nós é que a fabricação é livre de toda e qualquer crueldade contra seres humanos ou animais. Ou seja, no caso da indústria cosmética por exemplo, significa que os produtos não são testados em animais, que é um hábito que já foi bastante forte na indústria cosmética.

Apesar de ser menos um pouco menos falado no mundo da moda, o selo cruelty free está presente também nesta área. E mesmo ainda sendo minoria, as marcas que se encaixam neste estilo de fabricação estão marcando presença no Brasil e no mundo. Algumas delas são:

Insecta shoes

Essa marca brasileira de sapatos, além de ser vegana e 100% cruelty free, usa como matéria prima a reutilização das roupas vintage, e até mesmo a garrafa pet. O resultado é uma linha de sapatos incríveis e cheios de estilo!

Renata Buzzo

A estilista Renata Buzzo possui uma marca de produção de vestidos de festa que carrega seu nome. Sua marca carrega o selo de cruelty free por não fazer uso de materiais como a seda, botões de ossos de animais ou pérolas naturais em suas criações, e isso faz toda a diferença na mensagem que essas marca carrega.

Bambusa Brasil

Pensando no meio ambiente, essa marca brasileira de roupa íntima utiliza como matéria prima o algodão orgânico, e só faz uso de pigmentos naturais no momento de colorir suas peças. Ou seja, nada de gerar um lixo que irá demorar um absurdo de tempo para se decompor, e que pode até mesmo intoxicar o solo.

Essas são apenas alguns exemplos de marcas que adotaram este tipo de prática, e aos poucos estão fazendo a diferença neste mundo. Cabe a nós o incentivo para este tipo de trabalho, escolhendo o consumo consciente e procurando conhecer melhor os produtos que compramos.

Moda e o seu poder na transformação social

Antes de tudo precisamos lembrar que a moda é muito mais do que apenas cobrir o corpo com tecidos. Ela é também atitude, forma de expressão e pertencimento social. A moda conta parte da história humana, fala sobre cultura, religião, classe social e escolhas.

Partindo desse princípio, podemos então entender a moda como fator transformador da sociedade. E compreender também o motivo de muitas vezes ela ser utilizada como forma de repressão, e até mesmo exclusão das pessoas. Mas felizmente o seu poder para transformar de forma positiva a vida das pessoas é tão grande quanto.

Uma ótima forma de pensar nesse lado positivo, é lembrar do momento que vivemos atualmente, onde as coisas erradas estão vindo à tona, e escândalos com relação à produção através da mão de obra escrava aparecem todos os dias, fazendo com que cada vez se fale mais sobre consumo consciente e a valorização do trabalho dos produtores locais e do movimento slow fashion. Campanhas como “você é o que você veste” e “quem fez as minhas roupas” fazem grande sucesso nas redes sociais, e estimulam as pessoas a de fato pensarem no que estão vestindo. Desde que esse movimento de conscientização começou, já foram lançados documentários, matérias e até livros falando sobre o assunto, resultando em ações como boicotes a algumas marcas.

E o consumo consciente vai ainda além da produção. Quando falamos em matéria prima, por exemplo, o assunto se prolonga ainda mais. São muitas também as campanhas contra a utilização das peles de animais, que têm sido substituídas por materiais sintéticos, resultando em um resultado estético muito semelhantes, porém sustentáveis.

Existem também novas tendências que incentivam a diminuição da compra de roupas no geral. Um bom exemplo é a moda do guarda roupa cápsula, que tem como objetivo ensinar as pessoas a terem peças de roupas chaves, que se combinem facilmente entre si, acabando com o risco de comprar roupas em excesso.

Nós enquanto empresa consciente apoiamos esses movimentos citados, e incentivamos o surgimento de outros que sigam essa mesma linha de conscientização, e grande potencial de mudar o mundo para melhor.